Beijinho

Ingredientes
– 1 lata de Leite Condensado
– 1 colher (sopa) de Manteiga
– 4 colheres (sopa) de coco seco ralado (1 pacote de coco seco ralado)
– coco seco ralado para passar os docinhos
– 40 cravos da índia para decorar
– Manteiga para untar

Modo de preparo
Em uma panela, coloque o leite condensado e a manteiga. Leve ao fogo baixo, mexendo sempre até desprender do fundo da panela. Retire do fogo, misture o coco, coloque em um prato untado com manteiga e deixe esfriar. Enrole os docinhos, passe pelo coco ralado e decore-os com um cravo. Coloque em forminhas de papel.

Fonte
Nestlé

Anúncios

Beijinho de Colher

Ingredientes
– 1 Lata de Leite Condensado
– 2 Colheres (sopa) de Margarina
– 100g Coco ralado s/ açúcar
– 1 1/2 Xícara (chá) de Leite

Modo de Preparo
Em uma panela adicione o leite condensado, a margarina (s/ sal), coco ralado (s/ açúcar) e o leite.

Cozinhe em fogo baixo sem parar de mexer até que comece a soltar do fundo da panela, e o leite tenha reduzido pela metade, transfira para outro recipiente e leve para gelar e aproveite seu Beijinho Cremoso.

Fonte
Receitas de Minuto

#origem – Beijinho

“Beijinho ou Branquinho (no Rio Grande do Sul) é um doce tipicamente brasileiro servido em festas de aniversário. Sua origem provém de alguns experimentos com leite condensado e leite de cabra qualhado, que daria um gosto levemente azedo quebrando o excesso de açúcar no seu sabor. Seu idealizador foi José Ferreira Mendes, um homem rico que morou na França e estudou culinária na escola Gâteaux et Confiseries de 1940 à 1946, e com 34 anos (1947) retornou ao Brasil. Dos anos 1948 à 1950, seus experimentos na área da confeitaria foram desvalorizados apesar dos seus estudos na Europa, e desiludido deixou de trabalhar na área, deixando suas anotações para sua filha Isabelle Ferreira Arnaud, que seguiu seus passos na culinária. Aos 19 anos (1964), intrigada por não encontrar uma forma de tornar o doce de seu pai popular, achou apropriado misturar leite condensado e suco de lichia, para dar uma consistência aquosa, e depois deixou refrigerando. Seu gosto era especialmente saboroso e para dar um toque final acrescentou coco ralado como cobertura. Alguns anos mais tarde o suco de lichia fora descartado, porém sua base de leite condensado e coco se manteve. Tornou-se um doce popular e fora levado por Isabelle à Europa, pois assim ficaria na história européia e brasileira o doce criado por seu pai. Hoje em dia, muito popularizado, é preparado e servido de forma semelhante ao brigadeiro, mas leva coco ralado ao invés de chocolate em pó. A massa pode levar gemas de ovos ou não, dependendo da região do país em que é feito. Também pode levar suco de laranja e cascas de limão e ser coberto com açúcar cristal ou coco. Tradicionalmente, um único cravo é colocado em cima do doce.”

Fonte
Wikipedia